O Papel da Curadoria de Conteúdo no Design de Experiências

PHILIPE MARTINS

Planejamento e Co|criação

Se nossas experiências são responsáveis pela nossa expansão. O teor destas, seus conteúdos, servem de vetores da direção na qual expandimos.

Assim, a curadoria de conteúdo é essencial para o design de experiência se buscamos algum controle sobre o caminho que faremos com nossas mentes até o final de algo que vivemos. Cada momento, cada estímulo, traz um processamento, uma interpretação e uma expansão em alguma direção em relação àquele universo. Entendendo o design de experiências como uma tentativa de controlar, por meio de manipulação do ambiente e harmonização de estímulos físicos e mentais, o processo cognitivo-emocional que uma pessoa – ou um grupo de – viva, o assunto principal que ela explora é a principal matéria prima sobre a qual se cria o que quer que seja.

 

“You are a mashup of what you let into your life.”

Austin Kleon

Nossas áreas de interesse, sejam quais forem, se relacionam direta e indiretamente com outras áreas do conhecimento. Que por sua vez se relacionam com outras. E isso vai ao infinito e volta para o assunto original. Todos os temas se conectam, assim como todo o conhecimento humano também o faz. Cada relação explorada de um tema, cria insumos para o processo criativo do design, abrindo passagens entre diferentes perspectivas sobre o assunto e criando potenciais conexões a serem utilizadas no storytelling da experiência planejada.

Todo tipo de assunto é um universo em si. Quero dizer que é inesgotável de forma interdependente com tudo que se relaciona. De certa forma é como o pensamento, que pega todo tipo de caminho e faz todo tipo de associação sem nunca esgotar as possibilidades.

O processo cuidadoso da Curadoria de Conteúdos na pesquisa do universo relacional de um assunto determina o potencial que a experiência que se vai planejar tem a explorar. O filtro do que é importante, do que ~merece~ ser compartilhado, o entendimento de quais conteúdos relacionar com quais conceitos – assim como a criação de um mapa de potenciais assuntos a serem trabalhados – não apenas enriquece e facilita o processo do design, mas principalmente garante que a experiência final projetada colabore para uma expansão positiva da consciência dos observadores_participantes.

“Ours is a culture and a time immensely rich in trash as it is in treasures.”

RAY BRADBURY

PHILIPE MARTINS

Planejamento e Co|criação

Acredita que a mudança no mundo deve começar dentro de cada um. Pesquisador, vê nas boas perguntas o caminho pra encontrar as melhores respostas.

Pin It on Pinterest